Utilização de Compensações de Carbono na África

Recentemente, um grupo de 10 países da África Ocidental pediu a inclusão das compensações de carbono para alcançar metas climáticas.

Foi escrita uma carta direcionada à iniciativa Science-Based Targets (SBTi), o principal verificador mundial de metas climáticas corporativas.

Os países argumentaram que as compensações são fundamentais para viabilizar investimentos cruciais.

Argumentos compensações de carbono

Apesar de críticas de alguns cientistas e consultores técnicos que veem as compensações de carbono como prejudiciais.

Dizendo que elas permitem a continuação das emissões de gases de efeito estufa.

Outros defendem que elas são necessárias para alavancar o financiamento essencial.Os países signatários:  Burkina Faso, Cabo Verde, Costa do Marfim, Gâmbia, Guiné-Bissau, Guiné, Libéria, Mali, Senegal e Togo.

Chamaram de “ativistas equivocados” aqueles que questionam a validade das compensações.

Ousmane Fall Sarr, coordenador da Aliança da África Ocidental para os Mercados de Carbono e Financiamento Climático, afirmou que a falta de clareza na orientação do SBTi está prejudicando a confiança das empresas e atrasando o financiamento.

Ele enfatizou que o SBTi tem o poder de desbloquear investimentos para a ação climática global.

Ao permitir o uso de compensações juntamente com medidas de descarbonização.

Saiba mais: Banco Mundial e IPAM criam projeções para desmatamento na Amazônia

Diretrizes do SBTi sobre as compensações de carbono

Atualmente, o SBTi permite um uso muito limitado de certificados de energia renovável para reduzir as emissões de Escopo 2 (energia utilizada diretamente).

No entanto, em 9 de abril, o conselho do SBTi sinalizou que poderia permitir emissões de Escopo 3 (relacionadas às cadeias de abastecimento, distribuição e uso de produtos). Sujeito a certas regras e orientações.

Essa potencial mudança foi bem recebida tanto por empresas quanto por países em desenvolvimento.

Os quais dependem de projetos de compensação de carbono para gerar receitas.

Apesar da sinalização positiva, a incerteza persiste.

Uma vez que, o SBTi ainda está revisando a pesquisa científica e debatendo o assunto antes de uma decisão final.

A organização informou que abrirá uma consulta pública assim que sua investigação estiver concluída.

Saiba mais: Entenda o que é compensação de carbono

Importância do Financiamento Climático

Os países da África Ocidental destacaram que as receitas de compensação são vitais para apoiar comunidades pobres, promover a conservação, transitar para energias limpas e adaptar-se às condições climáticas.

A falta de clareza sobre as compensações também está atrasando os esforços dos países para calcular e atualizar seus planos climáticos nacionais.

Principalmente, na eminência da Cúpula Climática da ONU COP29, em novembro de 2024, em Baku, Azerbaijão.

Os países são incentivados a apresentar estas atualizações antes da COP30, em 2025, no Brasil.

Importância da compensação de carbono e a BR ARBO

A defesa das compensações de carbono por esses 10 países da África Ocidental sublinha a importância desta ferramenta para atrair financiamento climático essencial.

Enquanto a discussão continua, a clareza e a implementação eficaz das compensações de carbono são vitais.

O projeto Mejuruá, contribui para o avanço dos esforços globais de mitigação das mudanças climáticas.

Uma vez que ele captura toneladas de carbono na atmosfera e emitindo créditos de carbono.

Que podem ser usados como forma de compensar carbono.

Se esse mercado for regulado, poderemos viver em uma sociedade mais resiliente.

Saiba mais: Mondelēz International define suas metas ambientais

Por Ana Carolina Ávila

Olá!