Net Zero Company garante US$ 5,5 mi para remoção de carbono

Em junho, a empresa sueca de remoção de carbono, Net Zero Company, anunciou a conclusão de uma rodada de financiamento de sementes de US$ 5,5 milhões.

Fundada em 2022 e liderada pelo CEO Håkan Nordkvist, ex-chefe de Inovação em Sustentabilidade no Grupo IKEA.

A empresa está empenhada em revolucionar o mercado de créditos de carbono verificados através da tecnologia blockchain.

Saiba mais: Mobilização Global para Relatórios de sustentabilidade

Introdução do Token de Remoção de Carbono (CRT)

A Net Zero Company lançou o Token de Remoção de Carbono (CRT).

Para atender à necessidade crescente de remoções de carbono. Projetada para alcançar pelo menos 3 bilhões de toneladas até 2030.

Utilizando a blockchain Ethereum, o CRT oferece segurança, transparência e rastreabilidade.

Aspectos essenciais para o mercado de créditos de carbono verificados.

Principais características do CRT:

  • Segurança: Projetos certificados de remoção de carbono são apoiados por um plano de substituição abrangente.
  • Transparência: A blockchain Ethereum fornece prova verificável do impacto ambiental, aumentando a credibilidade.
  • Rastreabilidade: Cada CRT representa uma tonelada de dióxido de carbono sequestrado de projetos baseados na natureza.
  • Acessibilidade: Qualquer pessoa pode adquirir remoções de carbono de forma acessível e em qualquer lugar.

A Net Zero Company fez parcerias com gigantes da tecnologia como Microsoft e Metaco/Ripple. Impulsionado sua missão de fornecer soluções inovadoras e de alta qualidade para remoção de carbono.

Os principais investidores na rodada de sementes incluem Oilinvest, VARO Energy e SilviCarbon. O financiamento apoiará a expansão global da Net Zero Company e o lançamento de um novo conjunto de produtos.

Incluindo o Carbon Removal Token, um token garantido por ativos do mundo real.

Saiba mais: Mineiros estão restaurando a floresta Amazônica no Peru

Projeto Mejuruá: Proteção e Sustentabilidade na Amazônia

O projeto Mejuruá coordenado pelo empresário Gaetano Buglisi, visa proteger a Amazônia através do desenvolvimento sustentável.

Ao combinar esforços de conservação com desenvolvimento comunitário, o projeto Mejuruá tem como objetivo criar um modelo replicável de gestão ambiental que pode servir de exemplo para outras regiões da Amazônia.

Este projeto reflete como os créditos de carbono podem ser essenciais para a transição a uma economia verde. 

Por Ana Carolina Ávila

Olá!