Acordos Recordes da Microsoft no mercado de Crédito de Carbono

Recentemente, a Microsoft fechou dois acordos históricos de crédito de carbono.

Em parceria com o BTG Pactual Timberland Investment Group (TIG), a empresa se comprometeu a fornecer 8 milhões de créditos de remoção de carbono. A maior transação do tipo já registrada.

Em outro acordo, a Microsoft comprou 40.000 créditos de solo agrícola da Indigo Ag, a maior compra individual da empresa agrícola.

Compensações de carbono permitem que empresas reduzam suas emissões financiando projetos que diminuem emissões em outros locais.

Cada crédito corresponde à redução de uma tonelada de CO2, ajudando a atingir metas climáticas corporativas.

No ano passado, empresas retiraram ou utilizaram quase 180 milhões de toneladas métricas de CO2 em seus compromissos climáticos.

Saiba mais: Mobilização Global para Relatórios de sustentabilidade

Acordos com TIG

O acordo entre a TIG e a Microsoft envolve a entrega de até 8 milhões de créditos de remoção de carbono baseados na natureza até 2043.

Essa transação faz parte de uma estratégia de reflorestamento e restauração na América Latina.

Com um investimento de US$ 1 bilhão para conservar e restaurar áreas desmatadas, incluindo o bioma Cerrado no Brasil.

A iniciativa visa restaurar 135 mil hectares de florestas naturais e desenvolver explorações florestais sustentáveis ​​em mais 135 mil hectares.

O TIG já investiu em 37 mil hectares, plantou mais de 7 milhões de mudas e iniciou a restauração de 2,6 mil hectares de floresta natural.

Saiba mais: Mondelēz International define suas metas ambientais

Importância doa Acordos

Gerrity Lansing, Chefe da TIG, destacou a importância do acordo.

Afirmando que investidores institucionais têm um papel crucial em fornecer soluções baseadas na natureza em larga escala. A estratégia de reflorestamento da TIG permite uma transação de crédito de remoção de carbono desse porte.

O compromisso da Microsoft com a remoção de carbono demonstra um equilíbrio entre restauração ecológica e produtividade econômica.

A empresa pretende ser negativa em carbono até 2030 e remover todas as emissões históricas até 2050.

Para atingir essas metas, a Microsoft está investindo em projetos inovadores e de alta qualidade para a remoção de carbono.

A Microsoft também adquiriu 970.000 créditos de remoção de carbono florestal da Anew Climate.

Esses créditos vêm de projetos de melhor gestão florestal em áreas da Aurora Sustainable Lands, Acadian Timber Corp., e Baskahegan Company. Os projetos visam evitar emissões líquidas de carbono e remover carbono da atmosfera.

A Microsoft, junto com Google, Meta e Salesforce, lançou uma colaboração de compromisso avançado de mercado (AMC) de 20 milhões de toneladas para apoiar o desenvolvimento e e

Créditos de Carbono do Projeto Mejuruá 

Além dessas iniciativas, é importante destacar o Projeto Mejuruá da BR ARBO.

O projeto comercializa créditos de carbono e, por meio disso, restaura a floresta amazônica.

A BR ARBO, busca aumentar a resiliência da floresta frente às alterações climáticas.

Preservando a biodiversidade e garantindo a manutenção dos serviços ecossistêmicos essenciais para o equilíbrio ambiental e o bem-estar das populações que dependem da floresta.

Por Ana Carolina Ávila

Olá!