Conferência de Bonn discute mercados internacionais de carbono

Na recente Conferência de Bonn sobre Mudanças Climáticas, houve discussões intensas e avanços significativos relacionados aos mercados internacionais de carbono.

Conforme estipulado pelo Artigo 6 do Acordo de Paris.

Após duas semanas de trabalho, algumas questões cruciais avançaram.

Preparando o terreno para a próxima Conferência das Nações Unidas sobre Alterações Climáticas (COP29), a ser realizada em Baku, Azerbaijão, em novembro de 2024.

Avanços Técnicos no Artigo 6

Os delegados conseguiram progresso em diversos aspectos técnicos do Artigo 6. O qual é fundamental para a criação de um mercado de carbono eficiente e funcional.

Entre os principais avanços estão:

  • Autorização dos Créditos de Carbono: Estabelecimento de critérios claros para a emissão e autorização de créditos de carbono.
  • Atividades e Escopo: Definição das atividades elegíveis para geração de créditos de carbono, incluindo tanto projetos de redução de emissões quanto de remoção de carbono.
  • Registro Internacional do Mercado de Carbono: Desenvolvimento de um sistema de registro global para rastrear a criação, troca e uso de créditos de carbono.

Apesar dos avanços, ainda existem muitos pontos que precisam ser resolvidos antes da COP29.

O press release destaca que os delegados concordaram em realizar um workshop técnico antes de novembro para aprofundar o trabalho nos Artigos 6.2 e 6.4. Visando estar melhor preparados para as negociações em Baku.

Além disso, o órgão da ONU responsável pela operacionalização do novo mercado global de carbono se reunirá duas vezes antes da COP29. Para finalizar recomendações sobre metodologias e remoções de emissões.

Saiba mais: Mobilização Global para Relatórios de sustentabilidade

Perguntas em Aberto sobre os mercados internacionais de carbono

No anexo do press release, são detalhadas 11 questões críticas. As quais, precisam ser endereçadas para a plena operacionalização do novo mercado de carbono:

  1. Elementos Importantes de Orientação em Metodologias e Remoções: Identificação de quais elementos devem ser refletidos nas recomendações à CMA 6.
  2. Relação entre Orientações dos Artigos 6.4 e 5.2: Como os requisitos de monitoramento de remoções ou reduções de emissões interagem com requisitos nacionais.
  3. Relação com Outros Artigos do Acordo de Paris: Como as orientações sob o Artigo 6.4 se relacionam com os Artigos 2.1(c), 4.5, 9, 10 e 11.
  4. Melhor Uso de Insumos Técnicos e Científicos: Otimização do trabalho metodológico do SBM.
  5. Aplicação dos Princípios Metodológicos aos Abordagens de Base: Como aplicar o conceito de ajuste descendente.
  6. Implementação de Princípios de Adicionalidade: Como assegurar que os créditos gerados representem reduções adicionais de emissões.
  7. Proteções e Salvaguardas Sociais e Ambientais: Reflexão dessas proteções na orientação geral e nas ferramentas SD.
  8. Orientações sobre Remoções Diferenciadas: Requisitos específicos para diferentes tipos de remoções baseadas na natureza ou na tecnologia.
  9. Responsabilidade pela Reversão de Riscos: Atribuição de responsabilidades entre os participantes e os países envolvidos.
  10. Ferramentas para Abordagem de Riscos de Reversão: Identificação das ferramentas mais adequadas para diferentes circunstâncias.

Saiba mais: Projetos Verdes em Marrocos recebem € 20 Mi do BERD

Caso de Estudo: Projeto Mejuruá da BR Arbo

Apesar dos avanços, ainda há um caminho significativo a ser percorrido.

O trabalho contínuo e colaborativo entre os delegados será crucial para garantir que um mercado de carbono eficiente.

Um exemplo prático de projetos que podem se beneficiar desses avanços é o Projeto Mejuruá, da BR ARBO.

Este projeto, localizado na Amazônia brasileira, visa a conservação de grandes áreas de floresta.

A BR ARBO tem trabalhado em estreita colaboração com comunidades indígenas e locais para garantir que os benefícios do projeto sejam amplamente distribuídos. Respeitando os direitos das populações tradicionais e promovendo a biodiversidade.

Saiba mais: Bonn, Alemanha. Progressos alcançados quanto aos mercados internacionais de carbono ao abrigo do artigo 6º.

Por Ana Carolina Ávila

Olá!